Blog

Alimentação natural para pets?

By In

Tudo o que você precisa saber!

Tigela com alimentos saudáveis para cães e gatos
Alimentação balanceada e natural para animais de estimação

Respeitar as necessidades alimentares específicas de seu pet deve ser sempre uma prioridade.

As formas de alimentação do segmento pet, assim como vem acontecendo com os humanos, estão se modificando e novas possibilidades no mercado alimentício vêm sendo oferecidas.

Tudo isso acontece porque estamos, cada vez mais, tomando consciência dos valores atribuídos a uma dieta saudável, balanceada e nutritiva. Por esse motivo, muitas pessoas têm refletido sobre a possibilidade de oferecer aos pets uma comida natural.

O que é alimentação natural para pets?

A alimentação natural é uma alternativa à rações industrializadas, com uma dieta balanceada, criada com ingredientes naturais cozidos e congelados. 

Esta prática tem se tornado cada vez mais comum, tendo em vista que os tutores estão se preocupando mais com a saúde e qualidade de vida de seus bichinhos, buscando opções mais orgânicas para o seu dia a dia.

Qual é a base da alimentação do meu pet?

A fisiologia de cães e gatos demanda uma dieta a base de carnes. É por isso que a alimentação deve ser preparada com a formulação adequada de proteína animal. 

Descendentes de lobos, os cachorros possuem um código genético bem próximo dos seus ancestrais. No entanto, ao serem domesticados, passaram a tolerar alguns tipos de carboidratos. 

Os gatos necessitam de mais proteínas do que os cães. Eles possuem menor quantidade de dentes molares e pré-molares e o estômago reduzido e o intestino curto não auxiliam na digestão de grande quantidade de carboidratos.

É preciso que a gente entenda que uma dieta equilibrada deve conter proteínas, gorduras de boa qualidade, carboidratos, fibras, vitaminas, minerais e água.  A quantidade de cada nutriente depende muito da necessidade de cada espécie.

Prós e contras da alimentação natural

Durante muito tempo, a alimentação natural foi a única forma pela qual os pets se alimentavam e quando eles passaram a conviver com os humanos, comiam basicamente restos de comida. 

Ao longo do tempo, foi se desenvolvendo uma cultura de destinar uma alimentação específica para os animais, as populares rações. No entanto, nos últimos anos,  esse é um tema que divide opiniões.

Confira o que especialistas apontam como prós e contras na alimentação natural para pets.

Prós

  • Os alimentos naturais são mais frescos e não possuem aditivos químicos, corantes ou estabilizantes;
  • Os ingredientes que são derivados ou extraídos de plantas ou de animais;
  • O tutor é quem seleciona os ingredientes e prepara o alimento;
  • Os ingredientes  estão sempre frescos;
  • É uma alternativa para tratar algumas das enfermidades como obesidade, doenças renais, cardiopatias, diabetes,  pancreatite, alergias de pele e alimentar, gastrite, câncer, doenças intestinais e doenças hepáticas.

 Contras

  • Dificuldade em equilibrar, na fórmula, os nutrientes com as necessidades reais do biótipo de cada espécie;
  • Ausência de análises laboratoriais, suporte, fiscalização e certificados de controle de qualidade que garantem que os níveis nutricionais estão adequados e mantém a segurança alimentar dos pets;
  • Curto prazo de validade;
  •  Dificuldade em oferecer a quantidade correta, o que pode acarretar em falta ou excesso de nutrientes, o que pode levar o animal a ficar doente. 

O que é usado na alimentação natural para pets?

Os ingredientes utilizados na alimentação natural para pets são basicamente carnes e alguns tipos de vegetais. Por serem os mesmos usados na alimentação humana, muitas pessoas acham que podem oferecer sua comida a eles.

No entanto, o preparo deve ser completamente diferente. Embutidos, temperos, alho e cebola podem causar sérios quadros de intoxicação. 

Portanto, quando falamos em alimentação natural, não significa que você pode oferecer para seu amigo o mesmo alimento que você consome.Restos de pizzas, doces e frituras está longe de ser uma alternativa saudável e segura.

Que nutrientes usar?

A maioria dos nutrientes está presente em vegetais e carnes que podem ser encontrados facilmente. Entre eles, os principais são:

  • Carboidratos e fibras: cenoura, beterraba, batata doce, mandioca, abobrinha, chuchu, inhame, vagem, ervilha, brócolis, arroz integral e lentilha.
  • Proteínas: porco, coelho, peixe, ovos, boi, frango, fígado, coração, língua, baço e rins.
  • Gorduras: óleo de coco, óleo de peixe e banha suína.

Como preparar o alimento?

O preparo pode ser feito de três formas diferentes: dieta cozida, crua com ossos ou crua sem ossos.

A dieta crua com ossos contém carnes, ossos e vísceras cruas. A sem ossos é feita com carnes e vísceras cruas com vegetais e carboidratos cozidos. A dieta cozida é preparada com carnes, vísceras, vegetais e carboidratos cozidos.

É importante lembrar, que os alimentos devem ser cozidos sem nenhum tipo de condimento, tempero, e até mesmo o sal, tendo em vista que são prejudiciais a saúde do animal.

Qual é quantidade certa de cada ingrediente?

A composição nutricional da comida natural deve ser prescrita e assistida pelo médico veterinário nutricionista. A dieta deve ser de acordo com as características e necessidades nutricionais individuais de cada animal. 

Se você tem mais de um bicho de estimação, talvez não seja permitido alimentar a turma toda com o mesmo cardápio. Tudo vai depender da predisposição genética de cada um.

Assim como ocorre com as rações, os alimentos naturais preparados para cães não devem ser consumidos por gatos. O contrário também não.

O excesso de carboidratos pode levar a problemas de obesidade e diabete. Por isso, nada de compensar a proteína com uma cenoura a mais.

Como fazer a transição para alimentação natural?                                                            

Todo processo de mudança demanda tempo e paciência. É necessário preparar o paladar e a fisiologia do animal para que não haja problemas como diarreia, falta de vitaminas ou anemia.

O processo é menos complicado para os cães, que conseguem se adaptar em até duas semanas. Já os gatos podem levar meses para conseguir entrar em uma rotina alimentar sem ração. 

Não existe uma idade certa para a mudança de alimentação. No início, como o organismo precisa de um tempo para se adaptar, seu amigo pode ter sintomas de desintoxicação, como coceiras, fezes amolecidas, hálito forte e odor corporal.

Cachorro comendo cenoura, alimentação natural para pets.

É muito importante buscar orientação especializada. O animal vai precisar de um tempo de adaptação e isso também é levado em conta na hora do preparo das porções e na escolha dos ingredientes. 

 Não deixe de buscar orientações de um veterinário 24hpara que as bases nutricionais, ingredientes e preparo estejam sempre de acordo com as necessidades do seu amigo. 

Blog

Spray e Gel para higiene oral em pets

Os donos de animais estão se tornando cada vez mais conscientes de que precisam de boa higiene bucal para seus peludos. Às vezes, a doença periodontal pode causar sérios riscos à saúde do seu animal e dores imensas. Mas nem sempre é fácil usar a escova de dentes e a pasta de dentes para limpar adequadamente os dentes e a gengiva. Como resultado, o hálito de seu amigo peludo geralmente é menos do que fresco ficando difícil de ficar pertinho dele.

By In
Blog

Principais causas de mau hálito em seu cão

Principais causas de mau hálito em seu cão.
O que causa mau hálito no seu cão?

A principal causa de mau hálito em cães é a falta de higiene bucal ou uma doença periodontal. Poucas outras causas são um mau hábito alimentar, problemas renais e diabetes. Vamos entender essas causas uma a uma.

By In
Blog

O que é orgânico

O termo “Orgânico” é usado há muitos anos, mas muitas pessoas não sabem o que realmente significa orgânico e por que isso é importante. Se você estiver interessado em aprender mais sobre os benefícios de um estilo de vida orgânico, continue lendo esta postagem do blog enquanto mergulhamos no verdadeiro significado de orgânico.

By In
Blog

A posse de animais de estimação – especialmente cães – ajuda pacientes cardíacos a gerenciar seus fatores de risco

“Tem sido proposto que possuir um animal de estimação pode prevenir a obesidade, melhorar os perfis lipídicos e reduzir a pressão arterial sistêmica, reduzindo assim o risco de mortalidade e eventos cardiovasculares”, escreveram os autores em seu artigo. “Estudos anteriores mostraram que as pessoas que possuem um cão se envolvem em mais atividade física do que os não-proprietários”.

By In

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: