Blog

Desidratação em cães

By In
Desidratação em cães cuidados sinais e sintomas

Desidratação em cães e filhotes, quais são os sinais e sintomas?

Cuidados essenciais com os filhotes em dias quentes

O que é a desidratação do cão?

A desidratação em cães é uma condição comum e potencialmente fatal. É o resultado de não ingerir água e eletrólitos suficientes ou perder muito fluido corporal. Requer atenção veterinária imediata. Se não tratada, a desidratação pode causar sérios danos aos órgãos e até a morte. Consiste na perda de água do organismo ou dos tecidos por deficiente absorção de água ou por aumento da sua eliminação. Os animais, assim como nós humanos, eliminam água diariamente pela urina, ao respirar e pela evaporação da saliva durante a respiração ofegante.

O que causa a desidratação em cães?

Todos os cães correm o risco de desidratação se não comem ou bebem o suficiente. Existem várias razões pelas quais seu cão pode se recusar a beber. Pode ser um sinal de uma doença subjacente, como insolação ou febre. Ou pode ser que estejam simplesmente se sentindo enjoados, letárgicos ou com dores. Animais de estimação também podem desidratar se perdem muito líquido através de vômitos, diarréia e / ou respiração ofegante.

A desidratação também pode ser causada por urinar com mais freqüência e em volumes maiores que o normal. Isso pode acontecer quando os cães estão sofrendo de insuficiência renal, diabetes e outros problemas internos. Essas condições também costumam fazer com que os animais bebam mais. No entanto, isso geralmente é insuficiente para compensar o grande volume de fluido que estão perdendo. É vital que você busque atenção veterinária se o seu cão apresentar alguma alteração nos hábitos de micção ou beber água.

Quais são os sinais de desidratação em cães?

Os sintomas de desidratação do cão incluem:

Olhos fundos
Gengivas secas
Letargia
Fraqueza
Colapso | desmaio
Perda de elasticidade da pele

Como testar seu cão para desidratação

Exame da tenda de pele

Use o polegar e o indicador para beliscar uma pequena parte da pele nas costas ou na parte superior da cabeça do animal. Se eles estiverem bem hidratados, a pele deve retornar ao normal quando você soltá-la. À medida que a pele perde a umidade, ela volta a se mover mais devagar até que, nos casos mais graves de desidratação, ela não retorne e fique enrugada. Qualquer redução na elasticidade da pele do seu animal de estimação é conhecida como “tenda de pele”. Os animais emaciados ou obesos geralmente têm uma ‘tenda de pele’ leve. Isso não significa necessariamente que eles estão desidratados. Isso pode ser difícil de avaliar em animais mais velhos, com pêlos grossos ou longos ou raças com dobras excessivas de pele. Qualquer redução na elasticidade da pele do seu animal de estimação é conhecida como “tenda de pele”. Os animais edemasiados ou obesos geralmente têm uma ‘tenda de pele’ leve. Isso não significa necessariamente que eles estão desidratados. Isto pode ser difícil de avaliar em animais mais velhos, aqueles com pêlos grossos ou longos ou raças com dobras excessivas de pele.

Examine a gengiva do cachorro. 

O estado da gengiva é outro indicador de desidratação: quando normal, a gengiva canina tem aparência úmida e reluzente, compare com a sua gengiva humana. Entretanto, quando o animal está desidratado, ela fica seca ou grudenta, já que há menos produção de saliva.

  • Animais ansiosos ou assustados também podem ficar com a gengiva seca. Veja se o cachorro está relaxado quando for fazer o exame, ou você pode acabar se enganando.

Examine a urina do animal

Dependendo da quantidade de água ingerida existe uma adaptação corporal para preservar fluidos. Nessa situação, a quantidade de urina é alterada. O pet não irá urinar, ou a urina produzida estará em quantidade reduzida, bastante concentrada e amarelada e muitas vezes com odor acentuado.

  • Isso acontece porque os rins do cachorro passam a reaproveitar, reciclar água corporal para retê-la e preservar as funções do organismo.
  • Verifique se o cachorro está urinando menos que o normal ou se o xixi está com uma cor diferente.

Atenção na oferta de água

Fique de olho na vasilha de água do cachorro. Ele pode ficar desidratado por causa de muitas circunstâncias, mas a mais óbvia e fácil de controlar é o acesso à água.

  • Se o cachorro beber toda a água disponível ou se derrubar a vasilha por acidente e ficar sem acesso ao a água por muito tempo, poderá acabar desidratado. Disponibilize água fresca e limpa para o animal o tempo todo, atenção especial nos dias quentes.
  • A desidratação é quase instantânea e, por isso redobre atenção em dias muito quentes, dependendo da temperatura ambiente em que o pet permanece, ele poderá desidratar em 1 hora.

Preste atenção no comportamento 

Geralmente o animal desidratado consome o resto de sua energia buscando água. Ao observá-lo, você notará comportamentos anormais como inquietação, será como se estivesse tentando encontrar algo para beber.

  • O cachorro pode ficar lambendo os lábios ou adotar expressões faciais de ansiedade caso não consiga encontrar água.
  • Alguns cachorros desidratados também se deitam com o focinho sobre a vasilha de água.

Como a desidratação em cães é tratada?

Se seu veterinário suspeitar que seu cão está desidratado, é provável que ele faça um exame completo da cabeça aos pés. O objetivo disso é estabelecer a gravidade da desidratação e identificar a causa potencial. A razão pode ser óbvia, como uma diarréia ou insolação. No entanto, em outros casos, você pode sentir que seu animal de estimação “não está legal”. É provável que seu veterinário recomende alguns testes, como amostras de sangue, raios-x e ultrassonografias.

Uma amostra de sangue é uma maneira rápida e fácil de esclarecer a gravidade da desidratação do seu peludo, pode ajudar a identificar uma causa e decidir qual tratamento é necessário. O sangue é geralmente tomado de uma veia localizada em uma das patas dianteiras do animal de estimação ou de uma veia grande no pescoço, chamada de veia jugular. Um pequeno pedaço de pele é frequentemente cortado para ajudar o veterinário a encontrar a veia. Se a amostra for retirada de uma perna, uma pequena atadura será aplicada para interromper qualquer sangramento adicional. Esta bandagem geralmente pode ser removida dentro de algumas horas.

Como os veterinários reidratam os cães?

A maneira mais eficaz de tratar a desidratação é colocar o animal em um gotejamento de soro. Isso substituirá os fluidos já perdidos e também impedirá a desidratação adicional.

Um método alternativo para reidratar animais é administrar fluido sob a pele para formar uma corcova em forma de “camelo”. Este fluido é então absorvido por algumas horas. No entanto, é menos eficaz para corrigir a desidratação do que um gotejamento se soro e é adequado apenas para casos leves.

Soluções de reidratação oral também podem ser usadas, embora sejam benéficas apenas se o seu cachorro ainda estiver querendo beber e for capaz de manter o fluido no organismo. Dependendo dos sintomas que seu animal está mostrando, eles também podem exigir antibióticos, medicamentos anti-doença e alívio da dor. Você deve discutir o melhor curso de tratamento para o seu pet com o seu veterinário.

Quanto tempo os cães podem ficar sem água?

Isso depende do tamanho, raça e condição do cão, mas, em termos gerais, até mesmo animais saudáveis ​​terão dificuldade para passar mais que alguns dias sem água. Cães com problemas de saúde, como doença renal estão em maior risco. Os cães devem ter acesso a água fresca e limpa ao longo do dia. Como regra geral, eles devem beber cerca de 50 a 60ml de água por quilo de peso corporal por dia.

Filhotes

Filhotes são particularmente suscetíveis à desidratação, porque eles têm menos massa corporal do que um cão adulto. Durante os meses quentes de verão, o superaquecimento durante a brincadeira também pode predispor o filhote a perder água em excesso. Por isso, é ainda mais importante supervisionar o seu animal e usar brincadeiras mais tranquilas e refrescantes para ajudar a prevenir a desidratação.

Cerca de 75% da perda de água é devida à urina. Enquanto os outros 25% ocorrem através do trato respiratório, boca e pele. A reposição de fluidos ocorre ao se alimentar e beber água, por essa razão é essencial garantir muita água potável disponível para ajudar a prevenir a desidratação. Qualquer coisa que aumente a perda de fluidos ou interfira no reabastecimento dos mesmos, poderá resultar em desidratação.

O que posso fazer para evitar a desidratação do cão?

Assegure-se de que seu cão tenha bastante acesso a água limpa e fresca
Verifique a tigela a cada poucas horas
Limpe a tigela de água do seu cão diariamente para evitar bactérias
Leve sempre garrafas de água com você em uma caminhada ou quando viajar
Evite exercitar seu cão em clima quente
Nunca deixe seu cachorro em um carro!

Blog

Spray e Gel para higiene oral em pets

Os donos de animais estão se tornando cada vez mais conscientes de que precisam de boa higiene bucal para seus peludos. Às vezes, a doença periodontal pode causar sérios riscos à saúde do seu animal e dores imensas. Mas nem sempre é fácil usar a escova de dentes e a pasta de dentes para limpar adequadamente os dentes e a gengiva. Como resultado, o hálito de seu amigo peludo geralmente é menos do que fresco ficando difícil de ficar pertinho dele.

By In
Blog

Principais causas de mau hálito em seu cão

Principais causas de mau hálito em seu cão.
O que causa mau hálito no seu cão?

A principal causa de mau hálito em cães é a falta de higiene bucal ou uma doença periodontal. Poucas outras causas são um mau hábito alimentar, problemas renais e diabetes. Vamos entender essas causas uma a uma.

By In
Blog

O que é orgânico

O termo “Orgânico” é usado há muitos anos, mas muitas pessoas não sabem o que realmente significa orgânico e por que isso é importante. Se você estiver interessado em aprender mais sobre os benefícios de um estilo de vida orgânico, continue lendo esta postagem do blog enquanto mergulhamos no verdadeiro significado de orgânico.

By In
Blog

A posse de animais de estimação – especialmente cães – ajuda pacientes cardíacos a gerenciar seus fatores de risco

“Tem sido proposto que possuir um animal de estimação pode prevenir a obesidade, melhorar os perfis lipídicos e reduzir a pressão arterial sistêmica, reduzindo assim o risco de mortalidade e eventos cardiovasculares”, escreveram os autores em seu artigo. “Estudos anteriores mostraram que as pessoas que possuem um cão se envolvem em mais atividade física do que os não-proprietários”.

By In

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: